Siga-nos  
                                                                            Cidadão SP    /governosp


Bolsistas dos Institutos de Pesquisa da APTA recebem o Prêmio “Futuro Cientista” do CIIC 2021

O 15º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica - CIIC 2021 anuncia os ganhadores do Prêmio “Futuro Cientista”, bolsistas dos programas institucionais de Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC) e de Inovação Tecnológica (PIBITI) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) nas várias áreas do conhecimento agropecuário. O congresso ocorreu de forma on-line em 1 e 2 de setembro, coordenado pelo Instituto de Zootecnia (IZ), vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e os trabalhos foram analisados por comissões avaliadoras externas e de cada instituição participante.

Ao todo foram expostos 122 pôsteres e 44 apresentações orais de 181 estudantes de graduação que desenvolveram projetos em Institutos de Pesquisa da APTA – Instituto Agronômico (IAC), Instituto Biológico (IB), Instituto de Pesca (IP), Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) e Instituto de Zootecnia (IZ) – e nas unidades da Embrapa Informática Agropecuária, Meio Ambiente e Territorial. Do IZ participaram 11 bolsistas, do IAC 50, do Ital 25, do IB 38 e do IP 11. Já das unidades da Embrapa foram 43.

“A presença dos bolsistas nessas instituições permite uma troca constante e produtiva de conhecimentos e experiências entre todos os envolvidos nos projetos, mestrandos, doutorandos, campeiros, técnicos de laboratórios, e orientadores”, destaca a pesquisadora do IZ Maria Eugênia Zerlotti Mercadante, presidente do Comitê de Iniciação Científica do Instituto e presidente da Comissão Organizadora do CIIC 2021.

A bolsa de iniciação científica é uma modalidade concedida pelo CNPq desde sua fundação, em 1951, para despertar jovens talentos para a ciência. Ao longo do tempo, os objetivos dessa modalidade foram ampliados e diversificados, e atualmente, com os conhecimentos adquiridos nos programas de iniciação à ciência, os jovens podem vislumbrar uma carreira no meio acadêmico ou no setor produtivo. Maria Eugênia enfatiza que o mundo anseia por tecnologias para atender à grande demanda da humanidade por alimentos e diminuir o impacto ambiental e ainda preservar o meio ambiente. “Tenho certeza que vocês jovens cientistas farão a diferença. Não existe outro caminho a não ser a aplicação de tecnologias advindas da pesquisa científica para aumentar a produtividade da agricultura e pecuária, e da indústria de alimentos, e diminuir as perdas e desperdícios e a pegada de carbono deste setor.”

A presidente da Comissão Organizadora avalia que o 15º CIIC alcançou seu objetivo, principalmente devido à participação de cinco Institutos da APTA. Participaram da abertura do congresso o coordenador da APTA, Sergio Luiz dos Santos Tutui, e os diretores dos Institutos Enilson Geraldo Ribeiro (IZ), Marcos Guimarães de Andrade Landell (IAC), Ana Eugenia de Carvalho Campos (IB), Gisele Anne Camargo (vice do ITAL) e Cristiane Rodrigues Pinheiro Neiva (IP), além dos chefes da Embrapa, Silvia Maria Fonseca Silveira Massruhá (Informática Agropecuária), Marcelo Augusto Boechat Morandi (Meio Ambiente) e Lucíola Alves Magalhães (Territorial).

Além das apresentações dos bolsistas, o CIIC contou com palestras. O chefe da Embrapa Informática Agropecuária, Stanley R. de Medeiros Oliveira, doutor em Ciência da Computação, abordou competências valorizadas pela indústria e academia. Já o sócio fundador do Instituto Gilson Volpato de Educação Científica (IGVEC), Gilson Volpato, falou sobre a importância da fala e da escrita na vida acadêmica e profissional.

O conteúdo do CIIC 2021 pode ser conferido no canal da Fundepag no YouTube https://bit.ly/15CIIC2021online e os trabalhos premiados estão disponíveis no site do Congresso https://bit.ly/15CIIC2021. O evento teve apoio da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag) e do IGVEC.

Bolsistas falam sobre a importância da iniciação científica

Zootecnia

Um dos bolsistas premiados vinculados ao IZ, Henrique Reolon, considerou enriquecedora a experiência de apresentar a pesquisa "Identificação de biomarcadores para eficiência alimentar em bovinos Caracu”, sob a orientação da pesquisadora Nedenia Bonvino Stafuzza. “Embora exista a possibilidade de pesquisar na minha instituição de ensino em Rondônia, os recursos para isso não são tão abundantes quanto em instituição de pesquisa tão expressiva quanto o IZ”, conta.

Integrante de grupos de pesquisa desde o início da graduação em Zootecnia na cidade de Colorado do Oeste, Henrique não imaginava ter a oportunidade de estudar melhoramento e, mais especificamente, identificação de biomarcadores. "Graças a toda estrutura e profissionais do IZ, pude ter essa experiência enriquecedora tanto para a vida profissional quanto pessoal. Neste prêmio tem meu nome, mas tem méritos de muitos: além de minha orientadora e toda equipe do IZ, meu professor e orientador, Túlio Jardim, e os outros autores deste trabalho”, detalha.

Outro bolsista, Gustavo Mendonça, é grato pela oportunidade de apresentar sua pesquisa sobre características estruturais e valor nutritivo de pastagens consorciadas sob lotação contínua com bovinos. Aluno de medicina veterinária pela Faculdade de Americana, ele foi orientado pela pesquisadora Luciana Gerdes. “A responsabilidade de estar no CIIC é muito grande e o reconhecimento de toda pesquisa será importante para minha carreira pessoal e acadêmica”, opina. “Neste estudo, chamou muito a atenção o uso de um tipo de cultura – no caso uma leguminosa – para mitigar o metano entérico nos bovinos visando uma produção pecuária mais sustentável”, destaca.

Isabela Meirelles, estudante de Zootecnia nas Faculdades Associadas de Uberaba (FAZU), relata estar extremamente grata por ter seu trabalho entre os três melhores. “Comportamento ingestivo ao longo do dia e consumo alimentar residual em bovinos Nelore” teve orientação da pesquisadora Maria Eugênia Mercadante. "Participar do congresso foi uma experiência única. Ter a honra de estar dentro do Instituto de Zootecnia e poder acompanhar o trabalho de pesquisadoras tão excepcionais é um dos maiores pilares para a minha vida profissional".

Pesca

Autora do trabalho “A Transposição Museográfica da Sustentabilidade da Pesca e Aquicultura no Aquário Água Branca”, Gabriela de Oliveira Pereira considera que a oportunidade de participar do CIIC viabiliza um melhor preparo para alunos que estão ingressando na área científica. “Ao estagiar em uma unidade de pesquisa, o estudante tem a possibilidade de aprender na prática o conteúdo da área que almeja trabalhar, juntamente a profissionais qualificados", explica a estudante de Tecnologia em Design Gráfico da Uninter, que esteve sob a orientação do pesquisador do IP, Vander Bruno dos Santos, e co-orientação de Gabriela Isabel da Silva de Souza, diretora do Centro de Comunicação do Instituto.

"Antes desse trabalho de pesquisa, não conhecia a estrutura do Aquário, composta pelas diferentes espécies nativas, híbridas e exóticas. O interessante é que fui além disso ao trabalhar a importância da organização da informação do Aquário para a melhor compreensão pelo público, podendo ser dispensada a necessidade do conhecimento prévio sobre o assunto por parte do visitante", relata a bolsista.

A diretora do Centro de Comunicação do IP avalia que os trabalhos apresentados pelos bolsistas “demonstram a relevância que eles têm às instituições de pesquisa e para soluções presentes e futuras para a ciência de nosso país”.

Tecnologia de Alimentos

O primeiro colocado dentre as seis apresentações orais do Ital foi o bolsista Renan Garcia da Silva, graduando em Engenharia Química pela Unicamp, que apresentou o projeto "Biopolímero à base de alginato de sódio: efeito da baixa concentração de nanopartículas de SiO2 nas propriedades", sob orientação da pesquisadora Rosa Maria Vercelino Alves, do Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea) do Instituto. "O objetivo era estudar e pesquisar algo que fosse relevante para a sociedade que é uma demanda muito forte por novas embalagens: foi muito interessante e proveitoso poder ser uma das pessoas que colaboraram para um começo de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para, num futuro próximo, conseguir aplicar nas embalagens de alimentos", diz.

Para Renan, a atuação no projeto escolhido foi uma grande oportunidade por sempre ter gostado de Química Orgânica, tendo conseguido ganhar experiência não só com análises e pesquisas como também com rotinas de laboratório e métodos de qualidade que o Ital utiliza, além de ter tido contato direto com empresa. "Não tenho palavras para agradecer todos que estavam no laboratório comigo, toda a equipe do Cetea, toda a equipe do Ital, sem exceção: da faxineira até a recepcionista e as gestoras”.

Sou muito grato por todo apoio, contribuição e aprendizado que obtive nesse um ano. Minha meta é continuar no Ital, porque gostei muito do ambiente de trabalho e gosto muito dessa área da Engenharia Química e, se não der certo, estou feliz por tudo que vivi".

Bolsista orientada pela pesquisadora Renata Bromberg, do Centro de Tecnologia de Carnes (CTC) do Instituto, Yasmine Ferrarez Saouda foi a primeira colocada dentre os 19 pôsteres da instituição. Graduanda em Engenharia de Alimentos pela Unicamp, Yasmine considera a premiação um importante incentivo a estudantes e pesquisadores que buscam soluções para os problemas existentes no país. "Eu me sinto muito grata pelo reconhecimento e em saber que a cada pesquisa elaborada o Brasil pode acabar se desenvolvendo mais e avançar em tecnologia, sendo uma forma também de resistência ao que estamos vendo no contexto político de muita negação à ciência e de propagação de fake news", ressalta a bolsista.

Em seu projeto "Isolamento e caracterização de bacteriófagos líticos com potencial de ação antimicrobiana em bactérias patogênicas presentes em carnes e produtos cárneos", Yasmine conseguiu isolar dois bacteriófagos com potencial inibitório sobre L. monocytogenes a partir de uma amostra de solo. "Testamos amostras de solo, de esgoto, de jerked beef e de camas de aviários, então seria interessante testar outras fontes para que outros patógenos de interesse para a indústria de carnes fossem controlados de uma forma mais efetiva através do biocontrole exercido por bacteriófagos", avalia.

Agronômico

Aluna de Engenharia Agronômica da UFSCar, Rafaela Camargo Baggio frisa que foram de fundamental importância na sua formação sua experiência no CIIC 2021 e sua participação ativa como estagiária no Centro de Citricultura “Sylvio Moreira” do IAC, orientada pelo pesquisador Fernando Alves de Azevedo. “Além de explorar um ramo de pesquisa na minha área de estudo e entrar em contato direto com o conhecimento científico, pude fazer parte de uma unidade de pesquisa na qual aprendi a lidar com as responsabilidades de um ambiente de trabalho sério e respeitoso", ressalta a autora do projeto “Óleo essencial de limas ácidas e limões no controle de patógenos fúngicos de citros”.

A opinião é compartilhada pelo bolsista Renan Nascimento Pires, aluno de Engenharia Agrícola na UNICAMP, que considerou incrível participar do CIIC. “Tive a oportunidade de acompanhar diversas pesquisas, além de apresentar o meu trabalho. Adquiri muito conhecimento e a experiência de apresentar e ser questionado pela comissão avaliadora foi uma oportunidade de me desenvolver pessoalmente e profissionalmente”, diz.

Já Nicolas Antônio Passos Santos, aluno de Engenharia de Manufatura na UNICAMP orientado pelo pesquisador do IAC Hamilton Humberto Ramos, pesquisou sobre desenvolvimento e teste de um sistema auxiliar de reciclagem de calda para pulverização confinada na viticultura. “O conhecimento adquirido é muito importante para construirmos uma sociedade melhor e mais eficiente. O congresso e o trabalho marcaram minha vida acadêmica e profissional, vai agregar bastante as informações que aprendi com meu orientador durante esse tempo de aprendizado.”

Biológico

A bolsista Rhayane Resende Pillat, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), orientada pelo pesquisador do IB Claudio Marcelo Gonçalves Oliveira, desenvolveu as pesquisas sobre seleção de cafeeiros com resistência aos nematoides das lesões. “Participar e poder divulgar meu trabalho no CIIC 2021 foi uma experiência memorável”, relata.

Para Rhayane, poder ter a experiência em uma unidade de pesquisa é relevante no desenvolvimento, evolução e inovação da sociedade, visando solucionar ou melhorar os problemas. “A iniciação científica é o início de uma jornada de desenvolvimento, progresso pessoal e profissional imenso, além de ser um meio de contribuir para a valorização da ciência no nosso país e no mundo.”

Por Lisley Silvério

Assessora de Imprensa - Instituto de Zootecnica

[email protected]


Informações:

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

(11) 5067-0069

Instituto de Pesca

(11) 3871-7513

[email protected]


Instituto de Pesca participa da revitalização do Córrego do Sapateiro na Vila Mariana