Siga-nos  
                                                                            Cidadão SP    /governosp


Saiba quais cuidados ter ao comprar peixe para a Sexta-Feira Santa

Nesta época do ano o consumo de pescados tende aumentar no Brasil. Isso porque é tradição comprar e comer peixe fresco ou o Bacalhau na sexta-feira santa e no almoço de Domingo de Páscoa. Por isso, é preciso estar atento para fazer a melhor escolha e levar o produto mais fresquinho para sua casa, evitando problemas como a intoxicação alimentar.

O peixe mais escolhido pelos brasileiros costuma ser o Bacalhau. Mas é importante não bobear e não levar para casa um peixe salgado no lugar. A gente te explica: existe o Bacalhau verdadeiro (Cod gadus morhua), também conhecido como Porto. Mas alguns estabelecimentos costumam vender outro tipo de Bacalhau, chamado Portinho (Cod gadus macrocephalus). E, muitas vezes, compramos o segundo pelo valor do verdadeiro.

O médico-veterinário Ricardo Calil do Conselho Regional de medicina-veterinária de São Paulo (CRMV-SP) reitera a importância de se verificar a procedência do produto para comprar o peixe certo.

"Alguns estabelecimentos comercializam o gadus macrocephalus, que é semelhante com o verdadeiro. A diferença, porém, é que este outro não se desfaz em lascas e tem uma carne fibrosa, por isso, deve ter um preço abaixo do gadus morhua, que é o verdadeiro", afirma Calil.

Fique atento com esses detalhes ao comprar o peixe

Fique atento também às informações do produto. Ao comprar peixe em bandeja, verifique: o nome do produto, o peso líquido, o estabelecimento de origem, data da embalagem, data da validade e informações nutricionais. Isso ajuda a identificar a procedência do alimento e traz mais segurança à saúde do consumidor.

Outro fator importante a ser considerado ao comprar peixe, não somente nesta época do ano, é analisar com cuidado a aparência do pescado. Se a carne estiver manchada com uma coloração vermelha ou acinzentada, pode indicar a presença de bactérias e fungos, respectivamente. Já manchas mais amareladas ou marrons podem indicar que as gorduras estão rançosas, ocasionando mal cheiro e gosto forte.

Para saber se o pescado está fresco na hora da compra, você deve avaliar os seguintes aspectos na aparência do peixe: escamas firmes, brilhosas e bem aderidas; olhos brilhantes e salientes, ocupando toda a órbita e sem quaisquer tipos de manchas brancas; brânquias úmidas e avermelhadas; cheiro suave e característico.

 
 

Quais os cuidados de conservação do pescados?

Certo, você seguiu todas essas dicas e está levando o produto para casa. Mas e os cuidados de conservação que devemos ter a partir de então? Saiba que essa etapa é tão importante quanto às anteriores.

Os pescados devem ser conservados em temperatura próxima a 0°C, caso o peixe seja fresco, e 18°C se ele for congelado. Não se deve deixar o peixe em temperatura ambiente por muito tempo. Também é recomendando deixar sob refrigeração até o seu preparo.

A Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), em parceria com o Instituto de Pesca (IP), ambos pertencentes à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, criaram um livro para que o consumidor aproveite o melhor do pescado, chamado "Pescado é saúde: aproveitamento integral do pescado", que você pode acessar gratuitamente clicando aqui.

Por lá eles também dão a seguinte dica: "O pescado deve ser descongelado em temperaturas próximas a 0°C, por exemplo: deixá-lo descongelar em geladeira 1 dia antes do preparo. Importante salientar que uma vez descongelado, o pescado não deve ser recongelado para não sofrer queima pelo frio e perder nutrientes."

Seguindo esses cuidados ao comprar peixe para a Páscoa, você garante a saúde da sua família e ainda leva o melhor produto para a mesa!

 

Fonte: Terra, Abril/2020 (https://www.terra.com.br)

Para acessar a notícia clique aqui


SP: coronavírus - número de publicações científicas aumenta durante a pandemia, diz Instituto de Pesca