Siga-nos  
                                                                            Cidadão SP    /governosp


Qualidade, agroindústria e peixes não-convencionais: VIII Simcope adianta programação

A organização do VIII Simpósio de Controle de Qualidade do Pescado (Simcope) já adiantou parte da programação das palestras e debates que farão parte desta edição, organizada na unidade do Instituto de Pesca SP, no Parque da Água Branca, em São Paulo (SP), entre 09 e 11 de outubro de 2018.

A Unidade Laboratorial de Tecnologia do Pescado do Instituto de Pesca, idealizadora e responsável pela organização do evento, definiu três eixos principais, cujas apresentações serão distribuídas no decorrer dos três dias de evento. Os paineis serão seguidos de mesas-redondas, nas quais os palestrantes serão convidados a debater com o público.

Os peixes não convencionais (PENACOS) e a sustentabilidade no consumo de pescado são os temas do primeiro painel, que começa às 9h do dia 09/10, com a participação dos chefs Márcio Okumura, Fábio Leal, Daniel Stucchi e José Monteiro Júnior e a jornalista Fernanda Lopes, que irá analisar a influência destes profissionais na formação de opinião, popularização e aumento de consumo dos “penacos”.

O segundo painel, a partir das 14h do dia 10/10, abordará os desafios e oportunidades da agroindústria de pescado, com temas como a nova estrutura de fiscalização da agroindústria de pescado, o mercado de biomoléculas e a verticalização da produção e mercado na tilápia.

Já o terceiro painel, às 14h do dia 11/10, vai se concentrar na qualidade da matéria-prima na cadeia produtiva do pescado. O uso de antimicrobianos na aquicultura, perspectivas para o desenvolvimento sustentável e a segurança alimentar na cadeia do pescado marinho serão alguns dos temas.

Cursos e gastronomia

O VIII Simcope terá ainda a quarta edição do Concurso Gastronômico com o tema “O Pescado na Alimentação do Brasileiro: consumo responsável e sustentabilidade”. O concurso culinário será feito em parceria com a Universidade Católica de Santos (UniSantos) e focado em alunos do Ensino Médio regularmente matriculados nas escolas parceiras da UniSantos.

Ainda como parte da programação serão realizados dois minicursos, um sobre o processo de desenvolvimento de produto a base de pescado e outro sobre o aproveitamento de resíduos da indústria de pescado. A conferência de abertura falará sobre as estratégias para o fortalecimento do parque industrial do pescado brasileiro, com Eduardo Lobo, presidente da Abipesca.

 

Fonte: Seafood Brasil, Jun/2018 (http://seafoodbrasil.com.br)

Para acessar a notícia clique aqui


Dados econômicos escassos sobre a pesca comercial brasileira são abordados em tese de doutorado