Siga-nos  
                                                                            Cidadão SP    /governosp


Prêmio Josué de Castro destaca ações para alimentação em escolas

Fonte: Diário Oficial, Out/2016 (http://diariooficial.imprensaoficial.com.br/nav_v4/index.asp?c=4&e=20161015&p=1)

Dois trabalhos relacionados à alimentação de crianças em escolas municipais foram os vencedores do Prêmio Josué de Castro de Combate à Fome e à Desnutrição, promovido pelo Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea-SP). A cerimônia de premiação ocorreu ontem, na sede da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (SAA). 

O prêmio é concedido anualmente e tem por objetivo difundir iniciativas destinadas à formulação de soluções para o combate à fome e a promoção da segurança alimentar e nutricional. Há duas categorias: melhor pesquisa científica e melhor programa ou projeto de política pública. O nome da premiação homenageia Josué de Castro (1908-1973), médico e intelectual pernambucano cuja vida esteve estreitamente ligada ao combate à fome. 

Na categoria de melhor pesquisa científica, entre os seis inscritos, o 1º lugar ficou com o trabalho Inclusão do pescado na alimentação escolar no município de Itanhaém, desenvolvido pelo Instituto de Pesca (IP), da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) da SAA. Nas iniciativas de políticas públicas, houve 14 participantes, e o vencedor foi o Projeto Rede Saudável, da Prefeitura de Ubatuba. O vencedor de cada categoria recebeu uma salva de prata. Os 2º e 3º colocados, menção honrosa, e, os demais classificados, certificado de participação. A relação completa de premiados pode ser consultada pela internet (ver serviço). 

Evolução – Na cerimônia de premiação, o secretário-executivo do Consea-SP, José Valverde, lembrou que “a agenda da segurança alimentar está em constante evolução”. De acordo com ele, “o Prêmio Josué de Castro nos traz uma satisfação especial porque todos os projetos apresentados representam vasta capilaridade que vai ao encontro de preocupações sobre a alimentação nas escolas, o combate ao sobrepreso e à obesidade”. 

O Consea-SP integra a estrutura básica da SAA. É um órgão colegiado de caráter consultivo, que presta assessoria ao Governo do Estado, composto em dois terços por membros da sociedade civil e um terço por integrantes do poder público. “Em 2017, vamos enviar os projetos aos novos prefeitos, porque acreditamos que são de adoção simples, com potencial de inspirar políticas públicas municipais”, afirma Valverde. 

Itanhaém – O projeto do IP tem como parceiras a Prefeitura de Itanhaém e a Universidade Católica de Santos. Emocionada, a pesquisadora Rúbia Yuri Tomita, do IP, afirmou: “Tenham todos a certeza de que (o prêmio) é um estímulo muito grande para pesquisadores, que somos, e nem sempre conseguimos aplicar o resultado de nosso trabalho. Essa pesquisa traz satisfação porque vemos que estamos fazendo a diferença na vida de algumas pessoas”. 

O trabalho busca auxiliar o município a cumprir a determinação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), contida na Lei federal nº 11.947/2009, segundo a qual pelo menos 30% dos repasses do Ministério da Educação destinados à merenda escolar devem ser aplicados com produtos oriundos da agricultura familiar. Em Itanhaém, o estímulo é à pesca artesanal. 

Discussões entre os pesquisadores e os técnicos da prefeitura deram forma ao projeto. Por meio da tecnologia conhecida como Carne Mecanicamente Separada (CMS), o pescado passará a ser oferecido na alimentação de escolas municipais. Essa tecnologia traz, entre outras vantagens, a diminuição do desperdício da carne. “O resultado é parecido com uma carne moída de pescado”, explicou Rúbia. 

“O IP deu apoio técnico para a construção de uma futura Unidade de Beneficiamento de Pescado e para capacitação dos atores envolvidos”, disse a pesquisadora. Entre as vantagens do produto estão facilidade de armazenamento e aproveitamento de espécies de baixo valor comercial. 

“Selecionamos duas preparações: o escondidinho de polpa de peixe e um macarrão com molho do tipo bolonhesa feito com polpa de peixe. Fizemos teste de aceitabilidade em duas escolas, situadas em áreas de instabilidade alimentar, e o resultado foi bastante positivo. A aceitação dos dois produtos ficou acima dos 85% das crianças”, contou Rúbia. De acordo com ela, os resultados indicam que o projeto pode servir de base para outras iniciativas no Estado. 

Ubatuba – O Projeto Rede Saudável, da Prefeitura de Ubatuba, também diz respeito ao PNAE. Nesse caso, direcionado a compras de agricultores familiares e tradicionais, como os pertencentes a comunidades quilombolas e indígenas existentes no município. Ao mesmo tempo, de acordo com os representantes da prefeitura, a iniciativa faz parte de uma linha de desenvolvimento sustentável, pois boa parte dos produtores engajados no projeto habita regiões próximas a áreas de preservação ambiental. Sua fixação no local, a partir da possibilidade de venda do que plantam, ajuda a manter as áreas e combate a especulação imobiliária. 

Dados da prefeitura indicam enorme crescimento desse tipo de compra para a merenda escolar. Em 2012, o valor gasto com agricultura familiar e tradicional foi de R$ 30 mil. No ano passado, subiu para R$ 1 milhão. Ao lado disso, em vez de predomínio de alimentos como macarrão e salsicha, os alunos passaram a ter acesso a pratos como peixe com banana verde (típico da região), nhoque de inhame e outros feitos à base de polpa de juçara. 

O projeto abrange 90 agricultores tradicionais e atende aproximadamente 13 mil alunos. De acordo com a titular da pasta municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Carolina Nascimento, o principal desafio encontrado foi combinar as necessidades das escolas com o que o agricultor produz, e no período adequado: “Não é como chegar num supermercado e comprar o produto. Temos de ver a época da safra e ajustar os cardápios de acordo com isso. Houve um diálogo grande entre os agricultores e a prefeitura”. 

Lançamento – Durante o evento, foi lançado o livro Sabores da horta: Agricultura urbana e periurbana, elaborado pela equipe da Coordenadoria do Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) da SAA, com sugestões de receitas. 
A mesa da premiação contou com a participação de representantes de vários órgãos e entidades, como a própria Codeagro, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e o Conselho Regional de Engenheiros Agrônomos. 

SERVIÇO 
A relação completa dos premiados pode 
ser consultada em goo.gl/QDzhRm

 


XII Reunião Científica do Instituto de Pesca está com inscrições abertas