Siga-nos  
                                                                            Cidadão SP    /governosp


Docente de Medicina Veterinária desenvolve pesquisa sobre criação de lambari com apoio da FAPESP

Marcelo Barbosa Henriques é professor da graduação, do mestrado em Medicina Veterinária no meio ambiente litorâneo da Unimes e pesquisador do Instituto de Pesca

O docente da Medicina Veterinária da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), Marcelo Barbosa Henriques, está pesquisando sobre um método mais barato de criação de lambari visando o mercado de iscas vivas para a pesca esportiva.

A pesquisa é apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O professor da Unimes é pesquisador no Instituto de Pesca e possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1987), mestrado em Conservação e Manejo de Recursos pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP Rio Claro (2001) e Doutorado em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP Rio Claro (2004).

O peixe pesquisado pelo docente é o lambari da Mata-Atlântica da espécie Deuterodon iguape. No caso, é usado como isca viva na pesca esportiva do robalo e seu cultivo reduz a captura predatória de outros organismos do ambiente para o mesmo fim, em especial o camarão-branco.

Foi testada a produção de lambaris em sistema alternativo de recirculação com materiais de baixo custo, utilizando materiais como madeiras, papelão, lona plástica, bombas utilizadas em aquário doméstico, baldes e cordas de polipropileno (redes de pesca velhas descartadas) desfiadas. O tanque de produção tem 3,5m de diâmetro e 1,0m de altura, com volume de água de 8,0 m3. Para montagem do sistema foram utilizados dois tanques externos de 100 L cada, um com a função de decantador e outro para instalação do filtro biológico.

Foram utilizadas duas bombas de aquário, uma para troca de água entre o filtro e o tanque e outra para movimentação da água dentro do tanque. O objetivo foi testar com o lambari um sistema de criação adaptado, já utilizado para tilápias (Oreochromis niloticus) que, em tese, é adequado para o produtor que tem poucos recursos para realização de investimentos e comparar os resultados com tanques de recirculação montados no sistema tradicional. Os resultados de produção entre os dois sistemas foram similares, validando a utilização do sistema alternativo. O artigo científico está em fase final de redação e deverá ser encaminhado a um periódico de referência internacional em aquicultura.

O cultivo intensivo no sistema de recirculação de água é uma tendência mundial para a aquicultura, que, além de aumentar a produtividade, minimiza o impacto da emissão de efluentes no ambiente, reforçando a sustentabilidade.

O repasse da tecnologia está sendo realizado para produtores rurais do município de Itanhaém. O impacto econômico se dá na pesca esportiva, um segmento crescente no setor pesqueiro no Brasil. A atividade depende principalmente do fornecimento de camarões jovens e peixes para suprir a demanda de iscas vivas, sua extração pode resultar em sobrepesca e comprometer os estoques naturais.

Fonte: UNIMES, 25 fevereiro 2021 (https://portal.unimes.br/verNovidade/docente-de-medicina-veterinaria-desenvolve-pesquisa-sobre-criacao-de-lambari-com-apoio-da-fapesp/899/)


Instituto de Pesca desenvolve método mais barato de criação de lambari para isca viva 2